São Paulo, 24 de Outubro de 2014

Dúvidas freqüentes

12/05/2006 14:47

Tire suas dúvidas sobre doação

Eu estava em tratamento contra a gripe e realizei uma doação de sangue. O resultado apontado foi inconclusivo, qual a possibilidade de o remedio ter relação com o resultado?


É de extrema importância que o doador de sangue, no momento da doação, apresente boas condições de saúde e esteja livre de quaisquer infecções, inclusive as que não são sexualmente transmissíveis. Os vírus e bactérias mais simples como da gripe, por exemplo, podem ser transmitidos através do sangue do doador ao receptor e causar complicações graves em pacientes já debilitados, mais insignificante que sejam. Por este motivo, ao candidatar-se à doação, a pessoa passa por uma entrevista prévia à coleta quando é questionado sobre sinais e sintomas de infecções nos sete dias que precederam a doação. Caso tenha apresentado sintomas sugestivos é afastado da doação.

Quanto ao exame que mostrou-se inconclusivo, possivelmente, não se deve ao uso de medicações. Os testes realizados em bancos de sangue são testes de alta sensibilidade que procuram, em sua maioria, anti-corpos contra agentes infecciosos e não a presença destes agentes. Esta opção dos serviços de hemoterapia deve-se ao fato de que os testes têm o único e exclusivo objetivo de proteger o paciente que receberá o sangue, e não realizar um diagnóstico preciso no doador. Realizando testes de alta sensibilidade, classicamente, temos alta incidência de resultados inconclusivos e falsos positivos mas, em contrapartida, aumentamos a segurança transfusional.

Tenho um trabalho escolar para fazer e para isso preciso saber qual tipo de sangue passa pelo lado esquerdo e qual passa pelo direito do coração? Qual é a parte líquida do sangue?


Acredito que seu trabalho refira-se a fisiologia do sistema cardiovascular e não aos tipos sangüíneos em si. O tipo sangüíneo (do ponto de vista os sistemas de grupo sangüíneo), que circula em todo o organismo de um indivíduo, inclusive nas câmaras cardíacas, é o tipo sangüíneo determinado geneticamente. Fisiologicamente, nas câmaras esquerdas do coração circula o sangue arterial, e nas direitas, o sangue venoso. A parte líquida do sangue é o plasma que, por sua vez, é constituído de água, eletrólitos - como sódio e potássio -, os fatores de coagulação, lípides, carboidratos, proteínas e outras substâncias. Mais informações sobre fisiologia do sistema circulatório, você pode encontrar neste site:

http://www.unb.br/fs/clm/labcor/resfisio.htm

Doei sangue aproximadamente 2 vezes e não sabia que estava grávida. Estou com medo de ir ao médico fazer o pré-natal e ainda tomo remedios para enxaqueca. Meu receio é de com isso gerar alguma complicação. Sinto uma agitação na minha barriga, parece que vai sair alguma coisa na minha vagina sinto um breve friozinho, o que pode ser?


A doação de sangue não é aconselhável para mulheres gestantes, pois pode reduzir os estoques de ferro do organismo decorrendo em anemia. Durante a gestação as necessidades básicas deste elemento aumentam devido à formação do sangue da criança. Por outro lado, a gestação não confere contra-indicação absoluta à doação de sangue. Algumas gestantes são submetidas ao que chamamos de doação autóloga, ou seja, doam para si mesmas em casos especiais, quando necessário, autorizada pelo médico obstetra e pelo hemoterapeuta. Na maioria dos casos, não se observam maiores complicações. Quanto às medicações para enxaqueca, existem remédios que são de uso permitido durante a gestação. Aconselho que você procure um obstetra de sua confiança e inicie o pré-natal o mais breve possível. Ele esclarecerá sua dúvidas quanto aos sintomas que, por acaso, venham a aparecer durante a gestação podendo ainda adequar sua medicação.

Eu posso ser doador de medula óssea caso eu tenha uma tatuagem há menos de um ano? E quanto a ser doador de sangue, posso doar após quanto tempo?


Os critérios para doação de medula óssea seguem os mesmos para doação de sangue. Doadores que se submeteram a tatuagens devem ficar excluídos da doação por um ano a partir da realização da mesma. Em se tratando de uma doação de medula óssea relacionada, aquelas entre irmãos, não havendo outro doador disponível na família, o caso deve ser discutido entre o médico assistente responsável pelo paciente e o médico hemoterapeuta, levando-se em consideração o estado clínico do paciente, a fim de se pesar o risco-benefício da doação fora do prazo estipulado.

No caso de uma doação não-relacionada, entre doador e receptor não-aparentados, você pode realizar o cadastro de doador de medula óssea sem problemas, apesar da tatuagem. Nestes casos, o candidato à doação preenche uma ficha de cadastro e colhe o exame de HLA, que devem permanecer arquivados num sistema informatizado à espera de algum receptor compatível. Havendo algum paciente compatível com aquele doador, este é convocado para uma entrevista e novos testes. Só nesta fase é que serão investigados fatores como a tatuagem.

Nasci com sangue tipo O positivo, que foi confirmado inclusive na minha primeira gravidez. Porém, ao doar, apareceu no resultado que o meu é do tipo O negativo. Repeti o exame tradicional e o de gel e ambos confirmaram essa informação. É realmente possível que esta mudança ocorra? Se engravidar novamente existe risco para mim ou para o bebê? (Minha filha e meu marido possuem sangue A positivo).


O Rh positivo ou negativo é determinado geneticamente e as características de Rh positivo ou negativo são inalteráveis desde o nascimento até o final da vida do indivíduo. Desta forma, uma pessoa que nasceu Rh positivo permanecerá como tal até o final de sua vida, assim como o que nasceu negativo conservará a característica de negativo.

O que pode ocorrer, algumas vezes, é o indivíduo apresentar o que chamamos de RhD fraco ou parcial e, numa tipagem simples de rotina, ser classificado como Rh negativo quando, na verdade, é um Rh positivo fraco. Nos casos em que a tipagem do Rh apresenta-se negativa, é aconselhável que se prossigam os testes para determinar com segurança a tipagem do paciente. No seu caso, especificamente, seria interessante repetir a tipagem sangüínea e, em caso de um primeiro teste negativo, prosseguir as pesquisas para definir se o seu Rh é realmente negativo.

Quanto a novas gestações, como a incompatibilidade materno-fetal de maior freqüência é a ligada ao sistema ABO, sendo você O e o seu marido A, no caso de a criança nascer A há a possibilidade de que a mesma apresente complicações perinatais devidas á passagem de anticorpos anti-A seus para a criança.

Quanto ao sistema Rh, aconselho que você, primeiramente, defina seu tipo com precisão para, posteriormente, em se confirmando seu Rh como negativo, discutir com seu ginecologista as opções terapêuticas para prevenção da incompatibilidade Rh durante uma eventual gestação.

Quem tem o vírus da toxoplasmose pode doar sangue normalmente?


A toxoplasmose é uma doença causada por um protozoário denominado Toxoplasma gondii. De acordo, com resolução da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), publicada na RDC no. 153 de junho de 2004, a doação pode ser realizada após um ano da cura da doença.

Que medidas devem ser tomadas em relação à compatibilidade sanguínea em caso de gravidez se apenas uma pessoa do casal sabe seu tipo sangüíneo e fator Rh?


A melhor maneira de evitar problemas com a incompatibilidade sangüínea é o acompanhamento do pré-natal. Na primeira consulta com o médico obstetra será realizada a tipagem do sangue, assim como os exames necessários para o adequado acompanhamento.

Em que situação a mulher e o bebê correm algum tipo de risco?


A incompatibilidade sangüínea pode existir e não ocasionar nenhum problema para o bebê. O problema só é causado quando a mãe produz anticorpos contra as células vermelhas (hemácias) do bebê. A presença de anticorpos na mãe pode ser estimulada pela própria gestação ou ter produção espontânea, neste último caso é a incompatibilidade relacionada ao grupo sangüíneo ABO. Em relação à incompatibilidade por outros grupos sangüíneos, não ABO, a primeira gestação pode estimular na mãe a produção de anticorpos, e nesta situação ela deve fazer acompanhamento adequado. A incompatibilidade mais conhecida é quando a mãe é Rh negativo e produz anticorpos contra o bebê que é Rh positivo.

O que deve ser feito para evitar o problema e fazer com que a criança seja saudável?


Não existe nenhum método "caseiro" para evitar a incompatibilidade sangüínea. A melhor maneira é o acompanhamento pré-natal. O adequado acompanhamento pode evitar complicações no bebê e, desta forma, ele pode crescer saudável.

Estou menstruada, posso doar sangue?


Sim, a quantidade de sangue perdida durante a menstruação é muito pequena, não havendo impedimento para doar neste período.

Tomo anticoncepcional, posso doar?


Sim, tanto mulheres que tomam anticoncepcional quanto aquelas que fazem algum tipo de tratamento à base de progesterona ou estrogênio podem doar.

Tenho tatuagem, posso doar?


Em princípio sim, desde que ela tenha sido feita em local e condições higiênicas, com uso de material esterilizado. Se você não tem certeza de que estes procedimentos foram tomados, aguarde um ano antes de doar.

Fiz um piercing, posso doar?


Sim, mas espere três dias após a colocação, se ele tiver sido feito com material estéril e agulha descartável. Se não tiver certeza dessas condições, espere um ano para doar.

Quanto tempo meu organismo vai levar para repor o sangue?


A quantidade retirada não fará falta, porém é necessário um tempo para doar novamente (2 meses para homens e 3 meses para mulheres), para que o organismo reponha seu estoque de ferro.

Quanto tempo dura a doação?


A coleta do sangue é feita rapidamente, levando entre 5 e 15 minutos, dependendo da veia do doador. O procedimento completo (incluindo cadastro, pré-triagem, triagem, doação e lanche) leva em média 45 minutos.

Estou tomando antibióticos, posso doar sangue?


Não, em geral é necessário esperar 7 dias após o término do tratamento para doar. Em alguns casos pode demorar mais, dependendo da doença. A avaliação deve ser feita pelo médico.

Tomo remédios para pressão alta, posso doar?


Em princípio sim, mas não esqueça de avisar o médico qual o remédio antes de doar. Ele vai medir sua pressão, e se estiver normal, pode doar normalmente.

Tive hepatite, posso doar?


Depende. Se foi antes dos 10 anos sim, se foi depois não.

Estou tomando um analgésico, posso doar?


Sim, o analgésico não impede a doação. Mas avise sempre o médico da pré-triagem de qualquer medicação que estiver tomando.

Estou tomando remédio, posso doar?


Depende do remédio. A maioria não impede a doação, mas avise sempre o médico da pré-triagem para que ele possa fazer uma avaliação.

Doar sangue engorda ou emagrece?


Não engorda, pois nada é injetado na sua veia.

Quanto sangue será tirado de mim? Não vai fazer falta?


O volume de sangue retirado em uma coleta é de no máximo 470 ml. Não fará falta.

Vou desmaiar ou sentir fraqueza?


São raros os episódios de desmaios e fraquezas após a doação, mas existe a possibilidade de algumas pessoas sentirem-se um pouco mal, sim. Geralmente esses fatores são associados ao estresse que a doação pode causar.

Meu sangue pode afinar ou engrossar se eu doar?


Não, o organismo controla perfeitamente a reposição do volume de sangue e de glóbulos vermelhos, que são mantidos sempre na mesma quantidade.

Doar sangue vicia?


Não. A doação é uma decisão pessoal, a pessoa decide quando QUER doar.

O que devo levar quando for doar sangue?


Somente um documento oficial com foto. Pode ser RG, passaporte, carteira de trabalho, carteira de motorista ou outro.

O que significa janela imunológica?


É o período em que o vírus da doença está no organismo, mas ainda não pode ser detectado pelos testes. A janela imunológica de cada doença varia.

O que significa sangue universal?


É o sangue tipo O negativo. Ele é chamado universal porque pode ser doado para qualquer pessoa em condições de emergência.

Fiz acupuntura, posso doar?


Sim, desde que ela seja feita em condições de higiene apropriadas, 3 dias após a sessão. Se não tiver certeza dessas condições, espere um ano para doar.

Tomei vacina para hepatite, posso doar?


A vacina contra hepatite tipo B impede a doação por 48 horas.

Estou fazendo regime, doar não vai me fazer mal?


Se você estiver em boas condições de saúde, não. Um regime realizado corretamente não é afetado pela doação.

Tenho anemia, posso doar?


Não. Se você não sabe se tem anemia não se preocupe, antes de toda doação é feito um teste que detecta o problema.

Preciso estar em jejum para doar?


Não, alimente-se normalmente, evitando apenas comer alimentos muito gordurosos ou pesados e ingerir bebidas alcoólicas nas horas que antecedem a doação. E não se preocupe se estiver com fome, ao fim da doação é servido um lanche.

O que é comportamento de risco?


É todo comportamento que expõe a pessoa a certos tipos de doença contagiosa. O doador não pode ter nenhuma doença transmissível por sangue, para não contaminar o receptor. Para conhecer os comportamentos considerados arriscados para o doador "clique aqui":/pages/sangue/13#doencas.

Doei plaquetas, em quanto tempo poderei doar sangue?


Você pode doar sangue após 48 horas da doação de plaquetas, respeitando o limite de 4 doações por ano no caso dos homens, e 3 doações anuais no caso das mulheres.

Doei sangue, quando poderei doar plaquetas?


Você poderá doá-las 2 meses (homens) ou 3 meses (mulheres) após a doação de sangue.

O que é voto de auto-exclusão?


É um questionamento sobre a segurança do sangue que será doado. Imediatamente antes da doação, o doador pode decidir, se acreditar que seu sangue pode conter alguma doença, que ele não deverá ser doado, de maneira sigilosa. Assim, o seu sangue será coletado normalmente, mas independentemente do resultado dos testes, ele será descartado. É uma última chance do doador que acredita que há algum risco de contaminação de seu sangue mudar de idéia quanto à doação.

Existe substituto para o sangue?


Não. Por isso mesmo é que a doação de sangue é fundamental para salvar vidas.

O que acontece com o sangue doado?


Ele é divido em três partes: hemácias, plaquetas e plasma. Cada uma delas aguarda o resultado dos testes de segurança e em seguida é armazenado em temperaturas adequadas à necessidade de cada um, ficando disponível para transfusão. Se os testes detectarem alguma doença, o sangue é descartado.

Estou tomando anti-inflamatório, posso doar?


Sim, se for doar sangue total. Se for doar plaquetas, não, aguarde o término do tratamento.

Estou tomando remédio para acne, posso doar?


Em princípio sim, mas avise sempre qual o nome do remédio ao médico antes de doar sangue. Caso esteja tomando a medicação "Roacutan", aguarde um mês após a suspensão para doar.

Estou grávida, posso doar sangue?


Não, espere 3 meses se o parto for normal e 6 meses se for cesariana.

Estou amamentando, posso doar?


Não, espere 1 ano após o parto para doar.

Tenho diabetes, posso doar?


Doadores que já fizeram uso de insulina não podem doar. Se seu diabetes for controlado apenas com alimentação ou for do tipo hipoglicemiante, sim.

Estou gripado, posso doar?


É recomendável esperar 7 dias após a cura da gripe para doar.

Qual a diferença entre doadores de reposição e doadores voluntários?


O doador de reposição doa para pessoas conhecidas que necessitam de hemocomponente. Geralmente são amigos e parentes. Já no caso do doador voluntário, sua doação é fruto de um ato de cidadania e solidariedade, e os receptores são desconhecidos. Quando um doador voluntário torna-se assíduo, ele é chamado de doador voluntário e de repetição.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - 2ª à 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h